Perfil da Geração Z é apresentado na ACI


Perfil da Geração Z é apresentado na ACI

Na noite desta segunda-feira, 18, cerca de 140 empresários participaram da palestra “Likers: A nova geração de consumidores” promovida pela ACI e CDL, através do Departamento do Jovem Empresário. A psicóloga Luciana Mutti de Morais, da Vitamina Pesquisa, apresentou o estudo de mercado desenvolvido para a CDL Porto Alegre, que buscou compreender as características da geração de jovens entre 13 e 18 anos, pertencentes às classes sociais A, B, C e D, moradores de Porto Alegre.

Luciana abordou características da Geração Z, sua relação com a família e poder, comportamento em sociedade, cotidiano, relação com o trabalho, dinheiro e consumo. “Estes jovens, em seus quartos equipados e com famílias de estabilidade financeira, sofrem uma pseudo autonomia”, ressaltou. A Geração Z tem monitoramento constante através do celular e não se sentem seguros, vivendo em eterno estado de alerta. “O celular é o objeto que simboliza segurança quando estão longe dos pais, a relação com o aparelho é afetiva, tanto que 52% responderam que o objeto os representa. Para eles, a relação através das telas não são menos reais que as relações presenciais ”.

A configuração familiar é um mosaico composto por família nuclear, estendida e agregados, com a figura feminina investida de muito poder. “56% dos entrevistados não moram com pai e mãe e 18% moram só com a mãe. As relações são de muito poder, mais horizontais, mas não necessariamente mais maduras”.

CONSUMO - A etapa de busca de informações pelo produto ou serviço é feita só pela internet por 76% dos jovens pesquisados. 79% não escutam rádio e 83% está na internet também enquanto está vendo tevê. Para 71% o celular é de onde mais acessa a internet e 13% assistem a vídeos de propaganda pela internet. 55% dos jovens curtem as marcas que gostam no Facebook e 51% já faz compras pela internet, seja de sites nacionais ou internacionais. Os principais itens comprados são: roupas, eletrônicos e calçados.

A forma de pagamento de 27% dos jovens é o cartão de crédito do pai, mas 14% paga com boleto para os pais não saberem o que estão comprando. Quando vão comprar, 38% pensam em ir ao shopping como primeira opção. No futuro, 51% acredita que fará compras em lojas e pela internet, enquanto 16% acha que vai comprar a maioria das coisas só pela internet.

CONCLUSÕES - Esta é uma geração diferente. Ela não está reivindicando nenhum grande passo na história do desenvolvimento humano. Ela está usufruindo das conquistas do passado. É uma geração com menos tensão em relação à geração dos pais. Se em outros tempos a diferença era tão marcada, hoje ela está mais para uma corda bamba, onde oscilam os papéis de pais e filhos. É uma geração que entende que, se pode ficar mais tempo com os pais, fazer as coisas com os pais, morar para quase sempre na casa dos pais, por que vai fazer a revolução sozinha? “O mundo é colaborativo. Se você espera uma revolução, terá que fazer junto. Não espere que esse jovem faça sozinho”, finaliza Luciana.


Publicação: 19/05/2015